‘Agi na hora do nervoso’, diz mulher que agrediu suspeito de assediar filha

Uma das mulheres que participaram das agressões a um homem de 43 anos na rodoviária de Itapetininga (SP) afirmou que agrediu o suspeito após ficar nervosa por saber que a filha de 16 anos teria sido abusada sexualmente por ele.

Um vídeo enviado ao G1 e à TV TEM mostra o momento em que o homem aparece sendo agredido por pelo menos três mulheres

De acordo com a polícia, o caso ocorreu na quinta-feira (5). A mulher chegou a registrar boletim de ocorrência na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) por importunação ofensiva ao pudor.

“Eu estava em casa, quando minha filha me ligou chorando e assustada dizendo que um homem tinha passado a mão nela. Eu estava com a cabeça nervosa, fui até a rodoviária e agi na hora do nervoso quando vi o homem. Eu dei tapas nele e chutes por nervoso mesmo. Eu fui para defender minha filha”, disse a mulher, que prefere não se identificar.

“Depois que fui lá tirar satisfação, a minha filha e uma moradora de rua também o agrediram. Aí apareceu um sobrinho meu que também agrediu ele. Sei que não é certo fazer isso. Não vou mais fazer, mas foi no momento de nervoso, na cabeça quente”, ressalta

“Eu estou em paz pelo que fiz, mas não farei de novo. Não quero mais passar por isso. Minha família ficou brava por ter agido assim. Não farei mais isso”, diz.

As pessoas que aparecem nas imagens também serão chamadas para prestar depoimento.

A Polícia Militar informou, em nota, que registrou apenas boletim de ocorrência no local por importunação porque o homem estava impossibillitado de dar a sua versão do caso e, por isso, não foi ouvido pelos policiais.

Ainda segundo a DDM, ele será chamado para depor sobre a acusação, já que tem passagens por estupro e importunação ofensiva ao pudor.

Se for condenado, pode pegar de três meses a um ano de prisão. Caso o homem venha a dar queixa da agressão que sofreu, o caso será encaminhado para o 1º Distrito Policial, responsável pela área da rodoviária.

07/04/2018