PAM Salgadinho ficará fechado por 60 dias e atendimento será distribuido nos bairros

nono

O PAM Salgadinho deverá ficar fechado por pelo menos 60 dias. Essa foi a previsão dada pelo Secretário Municipal de Saúde, José Thomaz Nonô, durante entrevista coletiva, na manhã desta terça-feira (26). Ele anunciou prazos para a conclusão das reformas em três alas da unidade e a distribuição dos servidores em outras unidades. Porém segue indefinido como irá funcionar a logística de distribuição das especialidades e atendimentos.

A unidade foi fechada após o Conselho Regional de Medicina (Cremal) solicitar que seja realizada uma interdição ética, em virtude da precariedade na estrutura. A medida foi acatada antes do prazo previsto pelo Conselho, que era no dia 13 de fevereiro.

“O Cremal está coberto de razão em relizar essa interdição ética do PAM. Os médicos e todos os outros servidores não podem continuar trabalhando de forma precária. Na reunião que tive ontem com os representantes do cremal, ficou acertado que conforme a reforma seja sendo concluída, o funcionamento vá voltando ao normal” esclareceu o secretário.

Ontem, a diretora do PAM deixou o cargo e a Secretaria Municipal de Saúde está em busca de um novo gestor.

Na coletiva, Nonô explicou que os 570 servidores, destes 122 são médicos, serão distribuídos em 68 postos de saúde da capital. Ele também falou que a SMS pretende entregar a reforma da Ala A em fevereiro e as alas B e C até o final de março.

Durante a coletiva, ele também disse que não havia tomado conhecimento do ofício encaminhado pelo Cremal onde era relatada a situação de precariedade do PAM. “A prefeitura em nenhum momento quis fechar o PAM, porém assumo a culpa de chegar nessa situação. No dia 26 de novembro o Cremal encaminhou um ofício relatando a situação que o posto estava, mas esse ofício não chegou as minhas mãos. Assim que voltei ontem de viagem tive  reunião com eles [Cremal]. Entendo a posição do Conselho e irei trabalhar para entregar o PAM o mais rápido possível. Não tinha como deixar o PAM aberto sem médicos trabalhando”, argumentou.

O secretário também anunciou que pretende iniciar a reforma da parte externa do Posto após a conclusão das três alas. O centro cirúrgico, que está desativado a quatro anos, também deve ser reformado, informou o secretário.

Já com relação a distribuição das especialidades e o atendimento à população, Nonô disse que a Secretaria vai iniciar um estudo para determinar em qual unidade de saúde cada especialidade médica irá funcionar.

“As pessoas vão ter que entender que vai haver uma mudança nos locais de atendimento, mas que será necessário para melhorar o PAM. A melhor solução encontrada para as pessoas serem atendidas e os médicos continuarem trabalhando foi essa, a distribuição nos 68 postos”, explicou.

Cada Minuto