Gás natural desponta como vetor de transição para uma economia verde em Alagoas

Tendência mundial da integração energética entre gás natural e energia solar cresce no Estado

5806ed5bd1f64d52ce756eaccc7ac637_L
Gás natural é considerado o combustível fóssil mais limpo da atualidade. Foto: Marianna Bernardes

A eficiência energética do gás natural canalizado foi um dos assuntos debatidos durante o I Fórum Alagoas 2030, que aconteceu na manhã desta quinta-feira (7), com o objetivo de discutir e apontar soluções para o desenvolvimento sustentável no Estado.

Na ocasião, o diretor-presidente da Algás, Arnóbio Cavalcanti, falou sobre os cenários energéticos brasileiro e alagoano, destacando as vantagens do gás natural nesse contexto, como o seu baixo impacto ambiental no planeta.

“Ele é considerado o combustível fóssil mais limpo atualmente, porque produz baixa emissão de nitrogênio, gás carbônico, enxofre, e sua combustão não deixa resíduos na atmosfera”, pontuou Arnóbio Cavalcanti.

Outro tema abordado durante a primeira mesa-redonda do Fórum foi a importância da integração energética. Para Cavalcanti, é cada vez mais viável usar o gás natural em conjunto com fontes de energia renováveis. Em Maceió, cerca de mil unidades habitacionais já utilizam o gás natural como backup para o sistema de aquecimento de água a energia solar.

“O gás natural é a melhor opção para potencializar o conceito de integração com as fontes de energia renováveis, como solar e biomassa, o que já é uma realidade. Ele é o personagem principal na transição de uma ‘economia marrom’, baseada no uso do petróleo como combustível central, para uma ‘economia verde’, fundada em fontes de energia renováveis”, explicou o diretor-presidente da Algás.

Segundo ele, participar de eventos como o I Fórum Alagoas 2030 reforça o compromisso da Algás em contribuir ativamente para o desenvolvimento sustentável de Alagoas.

Débora Vieira – Agência Alagoas