São Miguel dos Campos é referência em serviços de saúde

932b3f3e1cf57455c9e37caf7e59dca2_L
Sesau investe na ampliação dos serviços de saúde em São Miguel dos Campos. Carla Cleto

Para assegurar assistência especializada, humanizada e regionalizada, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) tornou São Miguel dos Campos referência em consultas e cirurgias nas áreas de urologia, traumatologia e bucomaxilo. Por meio do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais (ProHosp), são investidos mensalmente R$ 172.155, assegurando 1.284 procedimentos, visando atender 220.237 moradores dos municípios de Anadia, Boca da Mata, Campo Alegre, Junqueiro, Roteiro, Teotonio Vilela e São Miguel dos Campos.

Pelo termo de compromisso firmado com a Santa Casa de São Miguel dos Campos, foram habilitadas mensalmente 72 cirurgias gerais, 216 consultas em cirurgia geral, 44 cirurgias de urologia, 132 consultas de urologia, 89 procedimentos de traumatologia ambulatorial, 267 consultas de traumatologia e 85 cirurgias de traumatologia. A Sesau também assegura, por meio do ProHosp Especialidades, 255 consultas em traumatologia hospitalar, 31 cirurgias de bucomaxilo e 93 consultas em bucomaxilo.

Com esta ação, segundo a secretária de Estado da Saúde, Rozangela Wyszomirska, a Sesau garante que os moradores da V Região de Saúde não peregrinem até Maceió ou Arapiraca em busca de atendimento especializado. “Essa é a nova visão da gestão estadual: trabalhar por uma nova Alagoas. E um novo estado se faz com uma filosofia inovadora na saúde, onde os usuários do SUS tenham acesso a atendimento especializado e de forma regionalizada. Com isso, garantirmos uma assistência mais ágil e eficiente, evitando a superlotação de unidades como o HGE [Hospital Geral do Estado]”, salienta.

Resultados – E somente nos três primeiros meses deste ano, já foram realizados 2.545 procedimentos, sendo 888 em janeiro, 807 em fevereiro e 850 em março. “Esses números comprovam que a saúde deve ser promovida de forma regionalizada, porque ajudamos a fortalecer os hospitais do interior, proporcionamos mais qualidade de vida aos usuários do SUS e evitamos que eles procurem outros centros fora de suas regiões de origem, abarrotando unidades que, na maioria das vezes, não são especializadas nas doenças para as quais eles buscam tratamento”, evidencia Rozangela Wyszomirska.

A gestora da saúde pública estadual enfatiza, ainda, que os municípios que integram a V Região de Saúde também são contemplados com recursos para o fortalecimento das Redes Materna e Infantil, de Urgências e de Assistência Pré-Hospitalar. Por meio de termos de compromisso, mensalmente são investidos R$ 288.606, sendo R$ 63.256 para qualificar a assistência nas maternidades e casas de parto, R$ 192.623 para melhorar o atendimento nos pronto-atendimentos e urgências 24 horas e R$ 32.727 para assegurar o socorro ágil prestado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Josenildo Törres – Agência Alagoas