Mil policiais militares estão sendo capacitados para fortalecer Operação Lei Seca

Anúncio foi feito nesta segunda-feira (18), na reunião do Conseg, que apresentou índices expressivos para o fortalecimento da Segurança Pública o Estado

9f0f76121d84fcbb2b3ad2ea250c6213_L

O presidente do Conselho Estadual de Segurança Pública (Conseg), Antonio Carlos Gouveia, reuniu os conselheiros, em sessão ordinária, nesta segunda-feira (18), no Palácio República dos Palmares, para tratar de números expressivos sobre a Operação Lei Seca.

 

O destaque foi o anúncio inédito da capacitação de 1000 policiais militares, que devem atuar como agentes de trânsito e fortalecer ainda mais a segurança pública do Estado.

De acordo com números apresentados durante a reunião, em 2015 foram realizadas 19 mil abordagens, pela Operação Lei Seca. Em 2016, até meados de abril já foram seis mil.

 

“A expectativa para o final de 2016 é que sejam 50 mil abordagens, com a ajuda de mais efetivo. De forma inédita, vamos anunciar aqui que estão sendo capacitados 1000 policiais militares. O Conseg é responsável por ampliar esse raio de ação”, explicou Gouveia.

 

Para o presidente do Conseg, as abordagens da Lei Seca vão além da questão do álcool. Porque os agentes monitoram carros roubados e demais ilícitos, atuando como parceiros diretos da Segurança Pública.

 

Outra ação inédita para Alagoas é que a partir de segunda-feira (25) cerca de 600 pessoas sofrerão uma penalidade. A punição será para o habilitado que acumulou ao menos 20 pontos de infrações em sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH), ao longo de um ano, conforme explica Gouveia.

 

“Aproximadamente 600 pessoas irão receber, a partir da próxima segunda-feira, notificações para devolver a CNH e posteriormente fazer um curso de reciclagem, que durará 40 dias, no Centro de Formação de Condutores, todos eles já atingiram um nível preocupante de infrações”, finaliza ele.

 

18-04-2016-Reuniao-Conseg-2

Além de pautas como a Operação Lei Seca, foram apresentados índices da Polícia Rodoviária Federal, posicionamento do Sindicato dos Policiais Civis, comissão para visita às unidades prisionais e o caso dos adolescentes mortos no bairro Village Campestre.

 

Maria Barreiros – Agência Alagoas