Cinco novos promotores de Justiça devem ser nomeados na próxima semana em Alagoas

5novospromotores

Esta sexta-feira (22) foi uma data importante para o Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL). Em reunião que aconteceu na Sala dos Colegiados, localizada no 4° andar do prédio-sede da instituição, cinco candidatos aprovados no último concurso realizado pela Procuradoria Geral de Justiça escolheram em quais promotorias do interior vão querer trabalhar após serem nomeados na próxima semana. A posse deles deverá ocorrer no dia 06 de maio.

Por ordem de classificação, vão ser nomeados Bruno de Souza Martins Baptista, de Minas Gerais (12° colocado); Maurício Mannarino Teixeira Lopes, do Rio de Janeiro (14° colocado); Ramon Formiga de Oliveira Carvalho, de Alagoas (15° colocado); Lídia Malta Prata Lima, de Alagoas (16° colocada); e Maria Luísa Maia Santos, da Bahia (17° colocada). O 13° classificado, Roberto César Lemos de Sá Cruz, abriu mão da nomeação imediata e pediu para ir para a última colocação dentre os aprovados.

Bruno de Souza, o primeiro a ser chamado dentre os futuros membros, afirmou que a escolha pela carreira do Ministério Público foi influenciada pela sua tradição familiar. “Tenho muitos parentes que têm destacados trabalhos no campo do Direito, em especial meu tio Weber Martins Baptista, jurista renomado do Rio de Janeiro que muito me inspirou e ensinou, especialmente no campo criminal. Então, não tinha como ser diferente, eu tinha mesmo que seguir essa mesma área. E o Ministério Público tem um papel essencial no sistema da Justiça que sempre me atraiu. Passei também no concurso do estado do Piauí, porém, escolhi Alagoas para ser minha nova terra e aqui espero poder contribuir e desenvolver um trabalho sério e honesto”, disse ele.

“Estou deixando o cargo de delegado da Polícia Federal da Bahia para me tornar promotor de Justiça. Depois de estar há 13 anos naquela instituição, resolvi que queria enfrentar novos desafios e o Ministério Público era uma das possibilidades que mais me atraía. Que bom que deu certo, estou ansioso para começar a trabalhar”, afirmou Maurício Mannarino.

“Meu pai já foi promotor de Justiça e depois se tornou procurador da República. Então, o Direito sempre esteve presente em minha casa. E quando estudei no curso e tive grandes professores na área do Direito Penal, decidi que queria ser membro do Ministério Público”, comentou Ramon Formiga, que deixa a função de defensor público da União para assumir o assento de promotor.

Lídia Malta também se inspirou num exemplo familiar. “Minha mãe é promotora de Justiça aqui em Alagoas (Sandra Malta) e sempre foi um referencial profissional para mim. Então, como eu cresci vendo o amor que ela tem à instituição, essa paixão acabou também tomando conta de mim. Estudei muito e me preparei para viver esse momento. Estou muito feliz”, comemorou ela.

E Luísa Maia, desde a faculdade, também já havia decidido pelo Ministério Público. “Tive a certeza que queria ser promotora de Justiça quando comecei o segundo ano de universidade. Inclusive, meu desejo maior é atuar no Tribunal do Júri. Depois de alguns anos de advocacia, aqui estou eu para realizar esse sonho”, declarou a baiana.

Nomeações e posses

Os atos de nomeação dos novos membros do MPE/AL deverão ocorrer já nesta próxima semana e a posse está marcada para o dia 06 de maio.

“O Ministério Público Estadual de Alagoas tem uma característica especial dos seus membros: o amor pelo ofício. Todos somos apaixonados pela profissão e trabalhamos pelo ideal de melhor servir ao povo. Temos certeza que vocês também chegam com esse mesmo desejo e, o mais fundamental, com o vigor da idade. Sejam bem-vindos e sejam felizes como promotores de Justiça”, afirmou o procurador -geral de Justiça, Sérgio Jucá.

“Vocês chegam num momento importante, em que o Ministério Público está cada vez mais sendo respeitado e sob o comando de uma chefia que nos dar apoio e segurança. Portanto, é mais fácil trabalhar assim. Que bom que são oriundos de um concurso que não teve, sequer, uma intercorrência judicial. Que possam dar grande contribuição a Alagoas”, defendeu o promotor de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça, secretário da comissão do certame.

JANAINA RIBEIRO – MPAL